Nós… e a Bahia!

Desde a minha licença maternidade queria muito viajar com o Pedro. Viagens sempre foram uma das minhas paixões e tinha muito curiosidade de saber como iríamos nos sair viajando com um bebê. 

Fomos várias vezes visitar a família em Curitiba, que fica a 300 km de Floripa – onde moramos. A primeira Pedro tinha um mês. Essas viagens sempre foram tranquilas, tanto na estrada (Pedro dorme maior parte do caminho) quanto nas noites fora de casa (vovó desde a primeira vez providenciou um berço para o netinho amado).  Sem contar ainda que na casa dos avôs, eu e o maridão podemos descansar um pouco da rotina com o bebê pois não faltam corujas para mimá-lo.

Mas eu queria uma viagem de férias! Só nós e uma praia! Cogitamos alguns Resorts, outros destinos até que me lembrei de um lugar tranquilo e lindo que eu tinha conhecido há uns 8 anos atrás: Praia do Forte – BA. 

 

Então, quando Pedro estava com 11 meses (março/2017) fechamos as mochilas e partimos. Práticos que somos, despachamos: 01 mala média de viagens com: nossas roupas, coisas de higiene, 01 snorkel, 01 bóia pro Pedro e uns 3 brinquedos, a mala de maternidade com as roupas do Pedro, fraldas e uns remédios básicos e pra finalizar: o carrinho. Nas mãos levamos: 01 mochila com trocas para a viagem de avião e mais uns cacarecos e uma bolsa térmica de mãos com um isopor pequeno onde levei umas 08 comidinhas congeladas para as jantas do Pedro (porque ele come bem mais cedo do que nós – mas almoçar come junto) e o leite em pó.  Simples assim. A Bahia é quente, na praia todo mundo só usa shorts e biquini… não tem que levar mil coisas! Aprendi isso no meu primeiro mochilão. Se faltar alguma coisa? Compra no destino, a não ser que vc esteja indo pro fim do mundo, todo lugar tem farmácia e mercado. Maquiagem? Nem pensar… to de férias na Bahia, só preciso de protetor solar! Salto, sapatos? Não, apenas um chinelo na mala e a sapatilha que viajei. E lá fomos nós – 9 dias de sol e água de cocô.

Saímos de Floripa pela manhã, fizemos escala em SP e fim da tarde estávamos em Salvador. No avião Pedro se comportou, respeitando toda sua curiosidade habitual e vontade de fazer amizades kkk. Foi acordado nos dois voôs. De Floripa a SP é pouco mais de uma hora então foi tranquilo, mas de SP a Salvador tivemos que ter um pouquinho de paciência com ele, mas as balinhas de gelatina da Azul ajudaram muito (sim, açúcar e corantes não são rotina lá em casa, mas também não sou a louca das comidas saudáveis).

Chegando em Salvador, tínhamos acertado um transfer com a pousada (primeira vez na vida que os mochileiros usaram dessas facilidades) e no começo da noite estávamos hospedados na Pousada dos Artistas. Com funcionários super queridos e prestativos, um bercinho no quarto, varanda de frente para um lindo jardim e café da manhã delicioso.

 

O destino não poderia ter sido mais acertado. A Praia do Forte fica há uns 80 km de Salvador. Era uma pacata vila de pescadores, que agora parece um vilarejo charmoso. Com famosas piscinas naturais, águas mornas e tranquilas. Com uma rua principal cercada de bons restaurantes, lojinhas, sorveterias artesanais e tapiocarias. Os hotéis ficam todos a poucos passos do centro, as ruas são planas (ótimas para andar com carrinho de bebê). O lugar oferece serviços de bici-táxis para ir as piscinas naturais que ficam um pouco mais distantes. É também morada do Projeto Tamar, onde é possível ver tartarugas de verdade e, com sorte, acompanhar o nascimento de pequenas verdinhas!

Nas proximidades existem várias outras praias igualmente lindas, como Imbassaí, Arembepe, famosa por uma aldeia hippie, e a Praia do Diogo. Você pode contratar um carro que faça os passeios ou locar um no aeroporto (lá quase não há essa opção). Indico alugar um carro apenas para os passeios, pois na Praia do Forte dá pra fazer tudo caminhando.

Viajar com o Pedro foi uma delícia! Ele dormiu bem durantes as noites, fez seus cochilos durante o dia, provou muitas frutas e sucos diferentes, se divertiu na praia e comeu muito peixe e sorvetes de fruta. Além de aprender a pedir aquelas bolinhas que tem para vender com moedas de R$1 em qualquer padaria, sabe? Ele realmente se divertiu e nós, com certeza, muito mais!

Percebemos que não importa o lugar, quando estão com os pais, as crias sempre ficam bem. Curtir ele nestes 9 dias, sem preocupação com horários, transporte e obrigações da casa foi maravilhoso! Um tempo precioso que passamos juntos e ficará sempre na nossa memória!

Como nosso voo de volta saía de Salvador, nosso último dia foi lá. Com direito a almoço no mercado público e passeio no Elevador Lacerda e no Pelourinho, apreciar uma roda de Capoeira… essas coisinhas de turista.

Enfim, tiramos a dúvida: nos saímos muito bem viajando com um bebê. A viagem foi tão boa… relaxamos tanto… que uns dias depois conseguimos encomendar mais um herdeiro! Mais isso é assunto pra outro post.

 

Obrigada Deus por nos dar a oportunidade de desfrutar desses dias maravilhosos, por nos confiar a vida desse menino tão amável e nos ensinar todos os dias o quanto Tu És Maravilhoso!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s